30 dezembro, 2010

Diálogo entre Colbert e Mazarino durante o reinado de Luís XIV:

Colbert: Para encontrar dinheiro, há um momento em que enganar [o contribuinte] já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é que é possível continuar a gastar quando já se está endividado até ao pescoço...

Mazarino: Se se é um simples mortal, claro está, quando se está coberto de dívidas, vai-se parar à prisão. Mas o Estado... o Estado, esse, é diferente! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se...
Todos os Estados o fazem!

Colbert: Ah sim? O Senhor acha isso mesmo ? Contudo, precisamos de dinheiro. E como é que havemos de o obter se já criámos todos os impostos imagináveis?

Mazarino: Criam-se outros…

Colbert: Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.

Mazarino: Sim, é impossível…

Colbert: E então os ricos?

Mazarino: Os ricos também não. Eles não gastariam mais. Um rico que gasta faz viver centenas de pobres.

Colbert: Então como havemos de fazer?

Mazarino: Colbert! Tu pensas como um queijo, como um penico de um doente! Há uma quantidade enorme de gente entre os ricos e os pobres: os que trabalham sonhando em vir a enriquecer e temendo ficarem pobres. É a esses que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais! Esses, quanto mais lhes tirarmos mais eles trabalharão para compensarem o que lhes tirámos… É um reservatório inesgotável….

Academia SCB

Do Sr. Duarte Duarte, recebemos o seguinte mail:
Com as últimas notícias que dão conta do presidente do Sporting Clube de Braga ter como objectivo neste novo mandato a construção de uma academia e a sua construção poder ser apoiada pela Câmara Municipal de Braga considerei importante estarmos todos atentos as estes desenvolvimentos.

Na actual situação económica em que vivemos e a qual a CMB também a sente eu sou contra a qualquer apoio desta na construção da academia do meu clube do coração, pois existem coisas, entenda-se: projectos, bem mais importantes para resolver.. A menos que seja um projecto em conjunto SCB-CMB para toda a população e esse julgo que tem toda a viabilidade e pertinência nos moldes em que estou a pensar e passo a explicar:

Juntar Academia, complexo desportivo mais parques verdes e Escola Superior de desporto numa área contínua que está sub-aproveitada e tem projectos para ficar arranjada.

1ª Medida: Acabar com o PEB e construir um multiusos junto ao AXA. (é única mais dispendiosa mas que é ao mesmo tempo necessária também)

Visto que a ESDB vai ficar pelo PEB, imaginem a zona toda arranjadinha com a "Grande Nave" + auditório + zona exterior onde se realiza a agro + Pavilhão Flávio Sá Leite + 1º de Maio + Campo de futebol da Ponte + Piscinas da Ponte + Campos de Futebol das camélias + Parque das camélias + Parque da Ponte + Parque do Picoto + Rio Este que por sua vez liga ao complexo desportivo da Rodovia (piscinas da rodovia, complexo de ténis, os campos e a área de lazer)
A academia SCB pode muito bem ser o 1º de Maio e campos de apoio, bastando para isso o clube construir um edifício para dormitórios e ginásios ao lado.

É só aproveitar o que está sub-aproveitado e assim nascia uma "Cidade Desportiva" em Braga que poderia ser utilizada pela Escola Superior de Desporto, pelo SC Braga, pelo ABC e pela população em geral. Além disso era uma maneira de dinamizar uma zona no centro da cidade.

Só se gastava dinheiro com os projectos que já estão feitos/planeados e supostamente vão andar para a frente (o parque do Picoto e a renaturalização do rio Este por exemplo) e com o multiusos que ja faz muita falta á cidade.
Só peço que haja visão e todo um plano em conjunto porque toda a cidade merece qualidade de vida...

26 dezembro, 2010

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA "OS BRAVOS DA BOA LUZ"


No âmbito das actividades culturais a realizar pela nossa associação,informamos que na próxima 2a feira dia 27de Dezembro,pelas 21h30 iremos efectuar mais uma apresentação do já famoso Livro "História da bola em Braga".Esta actividade vai ser realizada na junta de freguesia de Maximinos.

Como vem sendo habitual nas apresentações já realizadas,a presença humana tem sido elevada,com importantes intervenções dos presentes devido aos epílogos que a "obra" apresenta,nomeadamente em relação á data do nascimento do clube mais importante do nossa querida cidade de Braga.S.C.BRAGA.

Não faltes a este importante evento,participa,e trás um Amigo também...
Tenho prazer de anunciar que no referido evento, teremos a honra da presença do Prof./Doutor Barreto Nunes que será o apresentador da referida Obra de Arte.

Cordiais saudações

J.Silva
(Secretário da direcção)

25 dezembro, 2010

Alerta vermelho: Sete-Fontes


Atenção:
Esta mina corre o risco de ser destruída com a construção da estrada mais cara do país.
Está num local pouco acessível e com pouca visibilidade.

22 dezembro, 2010

Última hora

O Tribunal Constitucional (TC) detectou várias irregularidades nas contas partidárias de 2007.


Nas contas dos socialistas o TC detectou ainda que as contribuições dos militantes eleitos em Braga entraram no partido através de um único cheque emitido pela Câmara Municipal de Braga, um procedimento que o TC considera "inadequado para a concretização de contribuição de eleitos locais"
mais informação: aqui

EM DEFESA DAS SETE-FONTES - URGENTE


Caro(a) Amigo(a)
Passe este mail aos seus amigos e envie o texto seguinte à senhora Ministra da Cultura
gmc@mc.gov.pt ( subscrevendo-o com o seu nome completo) de modo a pressionar o Governo a publicar em Diário da República até 31 de Dezembro a salvaguarda do Complexo das Sete Fontes, conforme recomendação da Assembleia da República.


Exm.ª Senhora Ministra da Cultura,

"As cidadãs e cidadãos que subscreveram a petição Pela Salvaguarda das Sete Fontes, discutida em Plenário da Assembleia da República Portuguesa em 06 de Outubro último, rogam a Vossa Ex.ª que dê cumprimento urgente às recomendações aprovadas por unanimidade na sequência do debate parlamentar. Como é de seu conhecimento as recomendações da AR, entre outros aspectos, instam no sentido de que a classificação do conjunto das Sete Fontes, já homologado como Monumento Nacional, seja publicada em Diário da República, bem como a respectiva ZEP, com máxima urgência (até 31 de Dezembro).As Sete Fontes constituem um monumento único no género e contexto, sendo por outro lado um recurso ambiental, paisagístico e de lazer essencial ao desenvolvimento sustentado de Braga. Só a convergência de esforços entre cidadãos e os órgãos de soberania, incluindo o Governo, pode assegurar o futuro de Portugal. Assim e sublinhando que o parecer da AR foi unânime, pedimos-lhe encarecidamente que dê a máxima prioridade à fase final do processo de classificação do conjunto das Sete Fontes, cumprindo o dever de V. Ex.ª como governante, pois tanto nós como a Assembleia da República e a DRCN já trabalhámos nesse sentido. A batalha pela conservação das Sete Fontes irá continuar, mas para que saia vitorioso o Património Nacional, é essencial a colaboração activa e em tempo útil da Senhora Ministra da Cultura.
Cordialmente,

21 dezembro, 2010

ISAVE - a fuga em frente???

Governo aprova - Fundação Padre António Vieira cria nova escola de desporto

No próximo ano lectivo entrará em funcionamento a Escola Superior de Desporto de Braga, que será gerida pela Fundação Padre António Vieira (FPAV). O interesse público desta escola foi reconhecido pelo Conselho de Ministro a 24 de Setembro e prevê a criação de uma instituição de ensino superior destinada a 270 alunos.

Durante vários anos, o processo de reconhecimento da escola esteve parado, o que motivou requerimentos de deputados do CDS, PCP e BE em Junho passado, nos quais era pedida celeridade ao Ministério da Ciência, Tecnonologia e Ensino Superior (MCTES) para aprovação da instituição.

A escola vai ficar instalada no Parque de Exposições de Braga, utilizando também o Estádio 1.º de Maio, os complexos de piscinas da cidade e outros equipamentos desportivos arrendados à autarquia. A FPAV prevê criar uma escola de treinadores - já no próximo mês -, um centro de medicina desportiva e outro de formação em desporto escolar.

O Isave teve uma equipa de andebol no campeonato nacional da 1.ª divisão. O instituto está ainda associado ao Colégio Sete Fontes, em Braga, liderado pela mulher de Henriques.

Foi em 2002/2003 que o Instituto Superior de Saúde do Alto Ave (Isave) começou a funcionar. Tinha então 350 estudantes. Hoje, o instituto tem 830 alunos, cerca de 100 professores e 40 funcionários. A oferta é de nove licenciaturas em áreas de saúde; oito cursos de pós-graduação, seis mestrados e cinco doutoramentos.

O Isave é propriedade da Ensinave, empresa criada no início de 2001, com um capital social inicial de um milhão de euros, do qual 15 por cento pertencem a José Henriques. A Gerasave, outra empresa gerida pelo presidente do Isave, detém 60 por cento da Ensinave.

Quando da criação do Isave, sete por cento do capital era propriedade do vigário-geral da Arquidiocese de Braga, cónego Eduardo Melo. Em 2007, a Ensinave foi transformada em sociedade anónima, passando José Henriques e o cónego Melo a gerentes. O histórico dirigente da Igreja Católica manteve-se em funções até à morte, em Abril de 2008.

Seis meses depois, Henriques renuncia ao cargo de presidente do conselho de administração, sendo substituído, em Maio do ano passado, por Salmo Souza. A empresa instituidora do Isave tinha, em 2008, o último ano em que apresentou contas, 68 funcionários e uma facturação de 6,8 milhões de euros. Em 2006/2007 o Isave mudou-se para um edifício que custou 15 milhões euros.

Pedido do Farricoco


Caros amigos;
Como estou temporáriamente sem possibilidades de editar imagens, junto envio um "boneco" feito hoje por volta das 16h.
Carro a ser rebocado, por estar estacionado no lugar do "Dinossauro Exelêntissimo" de Braga.
Aproveito a oportunidade para vos desejar o Bom Natal e um 2011 sem grandes crises.
No 24/12 ás 17h, vou beber um Porto aos Bravos.
Abç

Nota: Carlos, estás aqui metido no "eixo do mal", porque aproveitei para gravar o teu mail. Aparece também
Abç

Governo admite tirar estatuto de interesse público ao Isave

Público - Governo admite tirar estatuto de interesse público ao Isave

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) admite retirar o estatuto de interesse público ao Instituto Superior de Saúde do Alto Ave (Isave). Para a tutela, a empresa Ensinave, que se encontra em insolvência, continua a ser a detentora legal do Isave, na Póvoa de Lanhoso, e não a Fundação Padre António Vieira (FPAV), uma vez que não aprovou a alteração. O presidente do Isave garante que este passou a ser propriedade, desde Maio do ano passado, da fundação.

Foi em 2002 que o Isave foi reconhecido através de um decreto que estabelece que "a entidade instituidora do estabelecimento de ensino é a Ensinave". Desde então, não houve nenhuma alteração à propriedade do instituto, informa o MCTES. "O processo de reconhecimento da FPAV ainda se encontra em curso, pelo que, não estando a fundação reconhecida, não se poderia ter operado a transferência da titularidade do Isave", garante fonte do gabinete do ministro Mariano Gago.

Face às notícias sobre a insolvência da Ensinave, a tutela pediu à Direcção-Geral do Ensino Superior uma "análise urgente", tendo em vista a "eventual abertura de um processo de verificação da manutenção dos pressupostos do reconhecimento de interesse público do Isave".

As dúvidas sobre o futuro do instituto acentuam-se depois de o tribunal da Póvoa de Lanhoso ter declarado a Ensinave insolvente, por dívidas superiores a oito milhões de euros. O presidente do Isave, José Henriques, continua a garantir que o Isave já não pertence à Ensinave, garantindo a legalidade do processo e o normal funcionamento da instituição.

Estudantes tranquilos

Para os estudantes o futuro da instituição não pode estar em causa. "Isto não pode fechar. Tem condições muito boas e está aqui muito dinheiro investido", avalia Marcos Oliveira, estudante do curso de Prótese Dentária. Para o aluno, "a notícia da insolvência do Ensinave foi bombástica e deixou os estudantes assustados", mas a instituição contactou os alunos para garantir que a propriedade do instituto é da FPAV. "Pessoalmente, estou descansado", garante.

"O presidente reuniu-se connosco para garantir que o instituto não encerrará", confirma Elsa Menezes, aluna de Enfermagem. Há dois anos que paga 397 euros mensais de propinas à fundação e, por isso, acredita na versão de José Henriques. "Já estamos habituados a boatos sobre o Isave", diz.

"Sempre que se aproxima a época de inscrições surgem notícias destas", acrescenta uma colega de curso que prefere não ser identificada. "A verdade é que estamos satisfeitíssimos com o ensino que temos aqui", acrescenta.

Fundação unipessoal

José Henriques é a figura-chave deste processo. O empresário foi gestor da Ensinave até Outubro de 2008. Em 19 de Maio de 2009 cria a fundação, tendo como fundadores ele próprio, a mulher e outros três sócios. Mas em Agosto do mesmo ano é feita uma alteração à escritura, onde se passa a ler que, "por lapso, ficou a constar que os outorgantes eram instituidores da referida fundação". Assim, a nova formulação estabelece que "o único instituidor da fundação" é José Henriques.

Não são só os fundadores que mudam, também o capital social foi alterado. Inicialmente era de 900 mil euros, garantido em 80 por cento pelas acções da Ensinave detidas pelos fundadores. Três meses depois, o capital social foi reduzido para 253 mil euros. Os estatutos da fundação estabelecem ainda que o líder do Isave é o seu presidente vitalício.

Os problemas no instituto da Póvoa de Lanhoso não são novos. Em 2004, o Governo decidiu encerrar o curso de Terapia da Fala, que tinha funcionado sem autorização durante dois anos. Em Julho deste ano, o Instituto Unificado Europeu do Brasil, no Pernambuco, detido pela Ensinave desde 2007, fechou portas sem avisar os 40 estudantes e nove professores que ali trabalhavam.

18 dezembro, 2010

Bispo acusa gestores formados na Católica de ferocidade

O bispo auxiliar de Lisboa, D. Carlos Azevedo, admite que os gestores formados pela Universidade Católica Portuguesa (UCP) não seguem a doutrina social da Igreja e professam, nas empresas, um tipo de gestão feroz na dimensão humanista.

Falando na tertúlia "125 minutos com...", na noite de quinta feira, no Casino da Figueira da Foz, após ter sido questionado pela anfitriã, Fátima Campos Ferreira, sobre se a doutrina social da Igreja não é aplicada no curso de Gestão da UCP, D. Carlos Azevedo respondeu: "Pelos vistos [não]. Há uma cadeira, mas é capaz de ser uma cadeira um bocadinho isolada do resto das matérias."

Para o bispo, "foram dados Prémios Nobel de Economia a gente que defendeu as teorias que agora são a causa da nossa desgraça" e "portanto, não admira que também possa ser admirado e apreciado um certo tipo de gestão selvagem", disse D. Carlos Azevedo, argumentando que "nem sempre o prémio Nobel é razão de apreço ético quanto às consequências do futuro".

Fátima Campos Ferreira lembrou que a UCP "é considerada uma das melhores escolas de Gestão da Europa, está nos rankings de topo" e D. Carlos Azevedo respondeu, argumentando que "nós estamos a ver, neste momento, que esse tipo de Gestão não tem em conta a globalidade do desenvolvimento, não tem em conta o desenvolvimento integral, tem em conta apenas o lucro".

"E, de facto, as empresas, quando contratam esses gestores, exploram ao máximo, despedem quanto é preciso. São ferozes em dimensões humanistas, não é esse tipo de gestores que respeitam a doutrina social da Igreja", declarou

por Lusa

11 dezembro, 2010

Lembram-se da Independente?

Tribunal Judicial de Póvoa de Lanhoso
Secção Única

Largo Paços do Concelho - 4830-000 Póvoa de Lanhoso
Telef: 253639260 Fax: 253635142 Mail: planhoso.tc@tribunais.org.pt
INFORMAÇÃO
(Artº 38º nº 3 b) do CIRE)
Processo: 512/10.8TBPVL
Referência: 701334

Insolvente: Ensinave-Educação e Ensino Superior do Alto Ave, Lda., NIF - 504983300, Endereço: Av.ª 25 de Abril, N.º 18, Póvoa de Lanhoso, 4830-512 Póvoa de Lanhoso
Administrador da insolvência: Dr. Nuno Albuquerque, Endereço: Administrador da Insolvente, Rua Bernardo Sequeira, Nº.78, 1º, Sala I, Apartado 3033, 4710-358 Braga

Publicidade de sentença nos autos de Insolvência acima identificados
No Tribunal Judicial de Póvoa de Lanhoso, Secção Única de Povoa de Lanhoso, no dia 30-11-2010, às dezasseis horas, foi proferida sentença de declaração de insolvência do(s) devedor(es):
Ensinave-Educação e Ensino Superior do Alto Ave, Lda., NIF - 504983300, Endereço: Av.ª 25 de Abril, n.º 18, 4830-512 Póvoa de Lanhoso com sede na morada indicada.
Para Administrador da Insolvência é nomeado: Dr. Nuno Albuquerque, Endereço: Administrador da Insolvente, Rua Bernardo
Sequeira, Nº.78, 1º, Sala I, Apartado 3033, 4710-358 Braga

Assembleia de Credores: 14-01-2011, às 14.00 horas.
O prazo para a reclamação de créditos foi fixado em 30 dias.
Os prazos são contínuos, não se suspendendo durante as férias judiciais (nº 1 do artº 9º do CIRE). Terminando o prazo em dia que os tribunais estiverem encerrados, transfere-se o seu termo para o primeiro dia útil seguinte.
in: http://www.citius.mj.pt/Portal/consultas/ConsultasCire.aspx

escreva o número de contribuinte da Ensinave (Isave), ou o nome da empresa

08 dezembro, 2010

A História da “Bola” em Braga 1908-1947: como o jovem Sporting se tornou no Senhor Braga


Ontem, a partir das 16:00, o Bar Zero 53 foi pequeno para acolher todos aqueles que quiseram marcar presença no lançamento do livro sobre a história do SCBraga 1908-47.
Entre os muitos e muitos bracarenses que marcaram presença, constavam individualidades reconhecidas, mas nenhuma delas ligada à actual direcção do SCB e, consequentemente à Câmara Municipal.
O livro parece trazer uma "novidade":
  • "o S.C.Braga nasceu em 14 e não em 21, conforme constam dos registos oficiais do clube"

E essa "novidade" provoca outra:

  • E a tal biografia oficial do SCB que estava para saír e ainda não saiu, sempre vai avante? Afinal vai ser publicada em 2014 ou 2021? em qual das duas datas de comemoração do centenário?

Projecto Floresta do Minho

Após os últimos incêndios que assolaram a região do Minho, um grupo de cidadãos resolveu criar um projecto que denominaram de «Projecto Floresta do Minho».
O Projecto arrancou no dia 16 de Agosto de 2010.
Este projecto vai agora constituir-se juridicamente sob a forma de uma «Fundação», contando para tal com o apoio jurídico de algumas das mais respeitadas sociedades de advogados do País e da região, que apoiam a causa a título de responsabilidade social.
Este projecto tem como principais objectivos:

  • Construir um Viveiro Florestal e oferecer as árvores para reflorestar o Minho;
  • Apoiar uma nova Gestão e Planeamento da Floresta do Minho;
  • Unir e sensibilizar a Sociedade Civil em torno de um objectivo e uma causa comum;
  • Cadastro Florestal;

Pretende-se com este Projecto que a Floresta do Minho constitua um exemplo a ser seguido quer entre portas, em Portugal, bem como um projecto modelo para o resto dos países membros da União Europeia.
A primeira Fase deste Projecto, será a produção de plantas como o Carvalho, Pinheiro, Sobreiro, Azevinho, em Ponte de Lima, na Quinta das Pentieiros. Avançaremos para uma 2ª.Fase em Viana do Castelo, onde faremos um aumento na produção de Plantas autóctones. Na fase de produção reuniremos com as associações florestais, juntas de freguesia, Câmaras Municipais para em conjunto estudarmos a reflorestação de todo o Alto-Minho.
Trata-se de um projecto que nasceu na sociedade civil mas que carece do apoio de todos, Associações Florestais, Câmaras Municipais, Juntas de Freguesias, Associações Empresariais, Empresas, Bancos, Igrejas.
Esta Fundação, este projecto “Floresta do Minho” com o apoio e contributo de todos será o Projecto… e não mais um Projecto, queremos que o mesmo constituía um exemplo de união de uma região em torno de uma causa comum e que a todos nos diz respeito.
Com os melhores cumprimentos,

Carlos Meira

www.florestadominho.com

06 dezembro, 2010

Ora aqui está uma grande ideia! (surrealista, mas que dá que pensar... dá)

Não sabemos quem é o autor, de qualquer das formas os nossos parabéns...
Instale idosos nas prisões e os infractores em lares.

Assim, os nossos idosos têm acesso a um chuveiro, passeios, medicamentos, exames odontológicos e médicos regulares.

Receber cadeiras de rodas, etc.
Receber o dinheiro em vez de pagar o seu alojamento.
Teria direito a vídeo vigilância contínua, que permite imediatamente receber assistência depois de uma queda ou outra emergência.
Limpeza do quarto, pelo menos duas vezes por semana, roupas lavadas e passadas regularmente.
A visita de um guarda a cada 20 minutos e podem receber refeições directamente no seu quarto.
Ter um lugar especial para atender a família.
Ter acesso a uma biblioteca, sala de ginástica, fisioterapia e espiritual, bem como a piscina e até mesmo ensino gratuito.
Pijamas, sapatos, chinelos e assistência jurídica gratuita, mediante pedido.
Quarto, casa de banho e segurança para todos, com um pátio de exercícios, rodeado por um belo jardim.
Cada idoso teria direito a um computador, rádio, televisão.
Teria um "conselho" para ouvir denúncias e, além disso, os guardas terão um código de conduta a ser respeitado!

Agora vem o pensamento:

Politicamente é correcto dar condições de existência a todos, mesmo aos reclusos.

Agora, o que não é admissível é a inversão dos valores em que se assiste à defesa dos mais fortes contra o desleixo dos que não se conseguem defender, como é o caso dos idosos e doentes.

Além do mais, é imoral que a sociedade se preocupe mais com aqueles que a não respeitam, que a atacam a cada dia e que a subvertem.

Que tal se sentem os que passaram uma vida a trabalhar para receberem umas migalhas em troca na sua velhice e sejam atacados directamente por aqueles a quem têm de sustentar???

A vida não é justa... mas não é necessário exagerar…


04 dezembro, 2010

Braga - Acessos Novo Hospital - Sete Fontes Monumento Nacional

Com relação a esta notícia. http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=6038

Gostava de deixar o seguinte texto.

Uma pequena introdução, em 1999 as Sete Fontes “iniciam” o processo de classificação como monumento nacional, graças à acção da ASPA.
Em 2001 a CMB aprova um PDM, que já contempla o terreno para o Novo Hospital, não reserva qualquer espaço canal para o acesso ao Hospital e Variante à EN, dá toda a zona do Monumento das Sete Fontes como urbanizável, grande parte do mesmo como nível máximo.

No seguimento da notícia do SOL, e destes factos, seria fundamental investigar o seguinte:
- Quando foi alterado o PDM nesta zona, que passou a dá-la como urbanizável, em alguns terrenos com índice máximo?
- A inclusão dos terrenos reservados para o Hospital, foi simultânea há alteração do tipo de utilização dos terrenos?
- Quais os proprietários dos terrenos na zona envolvente das Sete Fontes e acesso ao Hospital antes desta alteração?
- Que terrenos mudaram de proprietários antes da alteração do tipo de utilização dos terrenos, para zona a urbanizar alguns deles com nível máximo?

Perante a conjugação de:
- mudança de proprietários para empresas ditas “amigas”, e de familiares, antes da alteração do PDM da zona;
- não reserva de espaço canal para o Hospital;

Uma investigação séria e útil para a sociedade portuguesa passa pelo levantamento deste tipo de situações e havendo matéria relevante esta deve ser publicada, e será alvo de grande interesse, pois além de, não se defender o interesse público (com 8M gastos em apenas 1km), destruir-se património (não foram realizados os trabalhos arqueológicos necessários, e a empresa de arqueologia que apenas acompanha os trabalhos não conhece o terreno em questão), estão também de forma ilícita a enriquecer privados.

Por: Carlos Santos

Salvemos as Sete Fonters

Sessão Pública - E depois da petição



Sábado, 4 de Dezembro · 15:30 - 18:30


Auditório do Instituto Português da Juventude. Rua de Santa Margarida


Sessão moderada Por Miguel Bandeira.

Convidados:

  • C M Braga,
  • DRCN,
  • representantes partidários.
  • Apresentação de diaporama e curto filme sobre o vale das Sete Fontes